CONECTE-SE AO II IMFO PELO LINK DO YOUTUBE DA  SBOG

 

 

SBOG Informa II Imfo.png

Dia 15/10

Vittorio Fattori.png

Das 10h00 às 11h00

Vittorio Fattori - FAO 
Risk assessment of MCPD esters: conclusions and recommendations from JECFA

*Palestra em Inglês com legenda em português

 

O Joint Expert Committee on Food Additives (JECFA) é um grupo internacional de especialistas científicos que avalia a segurança de aditivos alimentares, contaminantes (incluindo toxinas que ocorrem naturalmente) e resíduos de medicamentos veterinários nos alimentos. A pedido do Comitê do Codex sobre Contaminantes em Alimentos (CCCF), o JECFA realizou em 2016 uma avaliação de risco de ésteres de 3-Monocloro-1,2-propanodiol (3-MCPD).

Angela Orlando.png

Das 13h30 às 14h30

Angela Orlando - ASAGA
Aspectos de Inocuidad Alimentaria: Sustancias Indeseables y exigencias de la Unión Europea

*Palestra em Espanhol

 

O conceito de alimentos seguros tem evoluído diretamente com o grande desenvolvimento de um mercado agroalimentar cada vez mais exigente e competitivo. Hoje o conceito de “segurança dos alimentos” não é o somatório dos diversos acontecimentos históricos, mas a dificuldade nos cuidados a serem implementados na gestão da produção, armazenamento, transporte e comercialização para garantir que os produtos além de não provocarem doenças, facilitem a prevenção de doenças.

Chandra Ankolekar.png

Das 15h30 às 16h30

Chandra Ankolekar - Kemin
Plant-derived extracts: Clean-label alternatives for shelf life improvement

*Palestra em Inglês com legenda em Português

 

A Kemi, fornecedor de antioxidantes para o mercado de óleos, gorduras e emulsões, irá abordar o tema “Plant-derived extracts: Clean-label alternatives for shelf life improvement”. Será uma oportunidade para o mercado conhecer mais sobre funcionalidade de extratos de planta como alternativas clean-label para conservação.

Mario Marostica.png

Das 17h30 às 18h30

Mario Roberto Maróstica Jr - Unicamp
Bioativos fenólicos e potenciais benefícios à saúde

*Palestra em Português

 

A associação entre sobrepeso, resistência à insulina e doenças cognitivas tem sido evidenciadas. Alguns componentes fenólicos da dieta parecem reverter alguns desses fenômenos descritos por meio da redução do estresse oxidativo, regulação do peso, diminuição da resistência à insulina e inflamação e danos cognitivos. A casca da jabuticaba possui substâncias bioativas que podem reverter a resistência à insulina ocasionada pela ingestão de dieta hiperlipídica. O objetivo é demonstrar o efeito da casca de jabuticaba na recuperação dos danos cognitivos proporcionados pela ingestão de dieta hiperlipídica.

Dia 16/10

Win de Grey.png

Das 10h00 às 11h00

Wim de Greyt - Desmet Ballestra
Mitigation of contaminants: Important but not the only objective of edible oil refining

*Palestra em Inglês com legenda em português

 

A qualidade do óleo refinado é avaliada principalmente por parâmetros de qualidade tradicionais, como um baixo resíduo livre teor de ácidos graxos, alta estabilidade oxidativa, cor clara e odor e sabor suaves. Além disso, alto óleos alimentares de qualidade precisam conter baixos níveis de ácidos graxos trans e grandes quantidades de antioxidantes naturais (tocoferóis) e contaminantes muito baixos ou nenhum (processo), como hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (PAH), pesticidas, dioxinas, bifenilos policlorados (PCB), 3-monocloropropanodiol (3-MCPD) - e ésteres glicidílicos (GE).

Lucia Olmo.png

Das 13h00 às 14h00

Lucia Olmo-Garcia - Imperial College London
Nuevo método de procesado de la aceituna con deshuesado y deshidratación: hacia la obtención de productos de alto valor minimizando la generación de residuos

*Palestra em Espanhol

 

O azeite virgem (VOO) ainda é produzido utilizando princípios que envolve grande geração simultânea de resíduos. A busca por uma solução econômica, tecnicamente viável e ambientalmente correta para os resíduos da indústria do azeite aumentou consideravelmente. O objetivo é realizar a caracterização qualitativa e quantitativa dos azeites e farinhas e avaliar o efeito da temperatura de desidratação sobre o perfil metabólico dos novos produtos resultantes. O novo método de processamento da azeitona não altera o qualidade dos óleos obtidos, e ambos os óleos e farinhas resultantes, contêm altos níveis de compostos bioativos, que certamente poderiam atender à crescente demanda por alimentos funcionais.

Eduardo Dubinsky.png

Das 14h30 às 15h30

Eduardo Dubinsky - Consultor
Rescatando las grasas animales para alimentación humana

*Palestra em Espanhol

 

Na nutrição, a ingestão excessiva de gorduras em geral e de gorduras animais em particular era apontada como a principal causa da a obesidade e o excesso de peso. Embora as recomendações nutricionais atuais continuem a restringir o consumo de gordura saturada, o foco principal são os alimentos ultraprocessados e o consumo excessivo de carboidratos refinados, principalmente açúcar.As alterações do paradigma nutricional e os seus limites, o impacto que teve no abastecimento de gorduras e óleos, as características técnicas das gorduras animais, especialmente as bovinas, e a sua utilização, nomeadamente na panificação industrial e artesanal. Esse novo cenário abre uma oportunidade de resgate de gorduras animais para consumo humano.

Renan Marangoni.png

Das 16h00 às 17h00

Renan Marangoni - Novozymes
Inovações biológicas na degomagem de óleos vegetais

*Palestra em Português

 

No processamento de óleos vegetais, a remoção de fosfolipídios é de suma importância para facilitar o transporte, armazenagem e processos posteriores como o refino ou produção de biodiesel. Essa etapa, chamada de degomagem, acarreta perdas devido a características da molécula de fosfolipídio. O uso de enzimas na etapa de degomagem facilita a remoção dos fosfolipídios e diminui drasticamente as perdas, garantindo um maior rendimento na operação, melhor eficiência e maior lucratividade da operação.

Marcelo Brito.png

Das 17h30 às 18h30

Marcello Brito - ABAG
O agronegócio no Brasil e os desafios para a produção sustentável

*Palestra em Português

 

O Brasil é um país mega diverso, uma potencia alimentar e ambiental. É indispensável um novo paradigma de produção e conservação que se encaixe em inovadores arranjos tecnológicos do uso da terra. Ao mesmo  o país tem 50% de sua área ligada a Amazônia, um universo que faz parte do coletivo imaginário de boa parte do planeta. Qual futuro desenhamos ao Brasil, a de um país “business as usual” que será apenas mais um na constelação de países comuns, ou aquele que liderará o modelo de produção e preservação no mundo?

Patrocínio